CIDADES MAIS BARATAS PARA MORAR NA ITÁLIA

Antes de falarmos quais são as cidades italianas com o menor custo de vida, vale a pena nos atentarmos para algumas perguntas, tais como:

  • Existe uma região mais cara e uma mais barata?
  • O que analisar antes mesmo de ver o custo de vida?
  • Qual é o seu perfil?

Antes de mais nada, temos que especificar que a Itália é divida em Norte, Centro e Sul, e é composta por 20 regiões, cada uma com suas particularidades. A escolha do lugar para morar deve ser baseada em vários quesitos, e não apenas em custo de vida.

Uma cidade (ou região) que apresenta um custo de vida mais baixo, pode representar uma região que tem menos oportunidades para quem vem para a Itália em busca de emprego, por exemplo. Ou seja, antes de mais nada, você deve analisar qual é o seu perfil, o que você busca e principalmente qual é a realidade do local para onde você pensa em se mudar.


CONHECENDO AS REGIÕES ITALIANAS

Como disse anteriormente, a Itália tem 20 regiões que ficam espalhadas entre Norte, Centro e Sul, cada qual com suas características. Quando falamos sobre o Sul da Itália, é importante ressaltarmos que é uma região não indicada para quem pensa em migrar e conseguir um trabalho na Itália: infelizmente é uma região maravilhosa, com qualidade de vida, mas sem muitas oportunidades, ou seja, apesar de ser um bom lugar para viver, não é o local que te possibilita oportunidades no mercado de trabalho.

O Centro é uma região composta por grandes cidades, como Roma e Firenze, por exemplo, e é uma das regiões escolhidas por muitos que desejam recomeçar na Itália. Existem oportunidades de trabalho, boa qualidade de vida, porém tem um custo mais elevado que a região Sul, por exemplo. Mas, é claro, em seguida veremos alguns fatores que talvez te colocarão em dúvida sobre isso, por isso, continue lendo esse artigo para entender melhor sobre o assunto.

Já o Norte do país é a região mais rica, composta pelas cidades em maior desenvolvimento e com mais oportunidade. Automaticamente, vista como a região mais cara para se viver. Em partes, sim, é verdade, porém, cabe aqui ressaltar o que disse lá em cima: qual seu perfil? Será que deixar de ir para uma região cara só porque é cara é o mais inteligente a se fazer?

Bom, depois dessa breve explicação sobre as regiões, vamos ver quais são as cidades da Itália mais baratas para se viver e em quais casos realmente vale a pena optar por elas para o recomeço aqui na Itália.


QUAIS SÃO AS CIDADES COM O MENOR CUSTO DE VIDA NA ITÁLIA

De acordo com o ranking elaborado pela União Nacional de Consumidores, elaborado com base em dados de inflação do Istat, as regiões mais baratas da Itália são:

Basilicata: aqui o custo de vida é o mais baixo da Itália. Basilicata é a região onde é possível uma família viver bem com 1000 euros mensais. Nessa região, por exemplo, você acha que um apartamento na província de Potenza de 50 metros quadrados, sem a necessidade de reforma, por 15.000€.

Molise: a pequena região italiana é uma das mais baratas em termos de custos de serviços públicos. Em 2019, as famílias Molise pagaram as contas mais baratas da Itália.

Umbria: entre os lugares mais bonitos e baratos da Itália, encontramos também Umbria, onde o custo de vida é inferior ao do resto da Península.

No ranking das regiões e dos lugares mais baratos da Itália estão também: Puglia, Campania, Sicília, Calábria e Marche, que apresentam um custo de vida inferior ao das regiões do norte.

Ao nos concentrarmos nas realidades individuais, descobrimos que as cidades mais baratas da Itália estão quase todas no Sul, nas ilhas e no centro, com algumas exceções.

As cidades mais baratas para se viver na Itália são, nessa ordem:

  • Potenza;
  • Ancona;
  • Caltanissetta;
  • Teramo;
  • Bari;
  • Sassari;
  • Messina;
  • Perugia;
  • Rovigo;
  • Catanzaro.

Em geral, as ilhas e o sul da Itália são os locais onde se pagam as rendas mais baixas, cerca de 250-300 para um apartamento com 2 ou 3 quartos.


AS CIDADES COM OS ALUGUEIS MAIS BARATOS NA ITÁLIA

E por falar em aluguéis, os preços dos imóveis também afetam o custo de vida na Itália. Tanto para a compra como para o arrendamento.

E onde os aluguéis são mais baratos na Itália? Os aluguéis mais baixos na Itália são encontrados nas seguintes regiões:

  • Molise (5,7 euros / m2 e variação anual de 1,1%);
  • Calábria (5,7 euros / m2 e -2,6% numa base anual);
  • Sicília, a terceira região menos cara da Itália em termos de rendas (5,9 euros / m2 e + 2% de variação anual).

Em vez disso, o ranking sobre os aluguéis mais baixos das cidades italianas é encontrado em:

  • Caltanisetta: com um preço de aluguel de € 3,9 por metro quadrado;
  • Avellino: € 4,4 por metro quadrado;
  • Reggio Calabria: 4,4 € por metro quadrado.

Em geral, nas pequenas cidades é possível encontrar aluguéis a partir de 300 euros.

Apesar de Nápoles não ocupar os primeiros lugares no ranking das cidades mais baratas da Itália, representa, no entanto, uma boa alternativa do ponto de vista económico, para quem deseja viver numa grande cidade, mas a preços acessíveis. Talvez alguém diria em termos de qualidade, dados os antigos problemas que a afligem, mas esta cidade oferece um custo de vida muito mais baixo do que outras áreas da Itália, o que poderia atrair os italianos a se mudarem para lá.


VALE A PENA MORAR NAS CIDADES MAIS BARATAS DA ITÁLIA?

Apesar de ter mostrado as cidades mais baratas para vocês, vale a pena ressaltar que mesmo no Centro e no Norte do país é possível encontrar cidades mais econômicas: basta fazer uma boa pesquisa, ver cidades menores que ficam mais perto de grandes centros, olhar o preço do aluguel, e assim, encontrar bons resultados.

Mas por que estou batendo nessa tecla de Centro e Norte? O Sul é definitivamente é a região mais barata, mas deve ser escolhida por aqueles que ou já vêm com um contrato de trabalho, ou que não precisam trabalhar no local (como quem faz home office ou é aposentado).

Por um lado, você gastará menos morando nessas regiões, mas terá dificuldades em se manter, por isso, veja seu perfil e decida onde é melhor morar! Acho muito válido escolher uma dessas cidades caso não dependa de uma renda local, mas é claro, além do fator preço, faça boas pesquisas sobre a qualidade de vida de um modo geral: saúde, segurança, educação etc. Sabemos que a estrutura ao norte do país é melhor, então vale a pena pesquisar mais a fundo sobre a cidade que deseja morar.