VILLA REALE DI MARLIA

Hoje você irá conhecer um dos locais mais lindos da cidade de Lucca (para não dizer da Toscana também): Villa Reale di Marlia, um tesouro que encontramos há poucos dias, pertinho da nossa casa, e que queremos compartilhar com você!

Conheça o site da Villa Reale di Marlia e saiba de todos os eventos futuros neste local maravilhoso.

História

O local possui origens nos tempos medievais, e passou por muita história e restruturação até chegar o que é hoje. O primeiro núcleo foi formado por uma fortaleza habitada pelo duque de Tuscia durante o início da Idade Média. Posteriormente, a propriedade passou para a família Avvocati e, mais tarde, para os nobres Buonvisi, uma família lucchesa de comerciantes e banqueiros que transformaram a fortaleza em um edifício imponente. Após o fracasso, os Buonvisis venderam a maioria dos ativos da família, incluindo a Villa di Marlia.

Durante o período napoleônico, Elisa Bonaparte Baciocchi, irmã de Napoleão e princesa de Lucca, comprou a propriedade no ano de 1806. Foi neste momento que a vila se tornou Reale (Real), devido ao título de Elisa, rainha da Etrúria. O vínculo da princesa com a residência de Marlia era forte e intenso:

Elisa foi responsável pelas principais intervenções que transformaram a estrutura do edifício e os jardins. Logo após a compra, ela incorporou a vizinha Villa del Vescovo ao complexo e modernizou as fachadas do antigo Palazzo Orsetti de acordo com o estilo neoclássico.

Depois da queda de Napoleão, Elisa teve que deixar o local (por volta de 1814), que foi comprado por outras pessoas e, por volta de 1850, a propriedade passou a ser de propriedade do reino da Itália, pertencendo ao rei Vittorio Emanuele II.

Por último, no ano de 2015, um casal jovem da Suíça comprou a propriedade. O local acabou de ser completamente restruturado e reaberto ao público.

Restauração

A Villa Reale é uma combinação de história, arte e arquitetura, em uma composição de formas de grande elegância e requinte. A sobreposição das várias épocas culmina na evidente impressão neoclássica, toda tipicamente italiana, com uma releitura francesa recorrente e sutil, tudo retratado nos prédios, no parque, estátuas, fontes e jardins surpreendentes.

O projeto de restauração foi coordenado pelo arquiteto Luca Borgogni, em colaboração com vários especialistas e colaboradores coordenados em um trabalho multidisciplinar de grande importância.

O preço de compra do local foi em torno aos 25-35 milhões de euros, e a restruturação do local ficou por volta dos 50 milhões de euros! Agora, além do parque, a villa também está restaurada e aberta ao público para visitação!

Onde e como chegar

O lugar fica localizado a apenas 10km do centro de Lucca (Via Fraga Alta 2, Marlia), e pode ser facilmente acessado: você pode ir de carro, bicicleta, a pé e de transporte público.

Caso você queira ir de ônibus, basta pegar a linha 59 (Lucca – Marlia) que para na frente do parque (para voltar para o centro da cidade, basta pegar o ônibus no mesmo local, porém do outro lado da rua). O bilhete do ônibus custa 1,50€, e quem chegar ao parque de ônibus, tem desconto de 1€ no bilhete do parque!

Horários

De 01 de março a 31 de outubro, o local fica aberto todos os dias, das 10:00 às 18:00 (última entrada 1 hora antes da hora de fechamento). Entre 1 de novembro a 28 de fevereiro o parque fica fechado para restauração e manutenção.

Valor do ingresso

Você pode escolher visitar somente o parque, ou o parque e a Villa (museu). O parque custa 9€, e caso você visite a Villa junto, o valor fica 14€ (Parque + Villa).

Para adolescentes entre 14 e 17 anos, grupos de no mínimo 10 pessoas, adultos com mais de 65 anos, sócios FAI e TOURING CLUB, e Abbonati CTTNORD pagam o preço reduzido: 7€ o parque, ou 12€ Parque + Villa.

Crianças até 14 anos (excluindo grupos), Acompanhantes e Guias Turísticos, motoristas e pessoas com deficiência não pagam o ingresso.

Caso você queira, você pode comprar o passe que te permite acesso ao parque durante todo o período de abertura, o valor é de 55€.

O local

Você terá muitas coisas para ver e fazer, e para isso, receberá um mapa com o percurso completo do parque, com a rota a ser feita, e todas as paradas para serem exploradas!

O itinerário compreende um percurso pelo parque, a visita a vila, e também um “percurso olfativo”, que faz parte do percurso normal do parque, porém possui detalhes para amantes da natureza.


Villa Reale App

Além desse mapa, você poderá baixar gratuitamente o aplicativo do local, e ter acesso à toda informação e história diretamente no seu celular!

Itinerários

O Parque Villa Reale em Marlia tem uma área de 16 hectares e é o resultado de uma sucessão complexa de transformações que testemunham dois períodos diferentes de construção da arquitetura das vilas de Lucca.

Imagem de Villa Reale di Marlia

Seu percurso começará logo na entrada no parque, e é dividido em 12 pontos de interesse, e se quiser, poderá também fazer o percurso olfativo: entre as inovações propostas em 2018, o objetivo mais importante é a possibilidade de tornar o parque conhecido através … do olfato. A ideia é que você percorra o parque, mas prestando atenção nas flores (que mudam de acordo com cada estação), aprendendo mais sobre elas, sentindo os cheiros diversos, e aproveitando ainda mais o passeio.

Bom, voltando ao itinerário, você terá em mãos seu mapa, e dará início ao seu passeio, onde você iniciará nas Camélias, até chegar na Vila. Além disso, dentro do parque você terá a sua disposição uma pequena cafeteria, com bebidas e comidas, além de um banheiro de uso público.

(A) Viale delle Camelie

Durante os meses de fevereiro e março, você encontrará lindas e variadas camélias no parque, e essa será a primeira parte do seu passeio: uma imersão em meio ao verde do parque, podendo conhecer camélias de várias partes do mundo. No início de janeiro, mais de trinta variedades de camélias antigas começam a florescer, com várias formas e cores que variam do branco ao vermelho.

A história das camélias tem origens antigas. A primeira variedade de camélias a chegar à Europa foi a Japonica Alba Plena: elas chegaram à Inglaterra por volta de 1730, enquanto na Itália chegaram mais tarde, no final do século XVIII. O Palácio Real de Caserta foi o primeiro a hospedar camélias em seu jardim inglês. Posteriormente, começaram a se espalhar também em muitas cidades da Toscana, onde encontraram não apenas seu habitat natural, mas também numerosos cultivadores apaixonados. Mais tardes, camélias que ficavam em palácios reais foram trazidas até o parque.

(B) Lago

A próxima parada é algo de tirar o fôlego: uma vista incrível do parque a partir do grande lago que têm no local. Além da beleza natural do lugar, algo incrível chama a nossa atenção: a Vila fica ao fundo da vista do lago, e no lago é projetado o reflexo da vila na água, como se fosse um espelho, e isso foi proposital! O arquiteto J. Greber projetou essa ideia no ano de 1924, fazendo com que a vista fique ainda mais incrível!

Além disso, ali você encontrará três antigas estátuas, representadas por Vulcão, Hércules e Demétria.

(C) Villa del Vescovo e giardino all’italiana

O lugar é formado por uma construção de origem medieval e por um jardim maravilhoso (o meu preferido no parque). A Villa del Vescovo recebeu esse nome porque foi construída no século XVI nas ruínas de um antigo castelo medieval preexistente de propriedade do bispado de Lucca.

O Jardim é lindo, com vários desenhos geométricos, e te reporta a uma época antiga, algo muito incrível.

Dica: na saída pela lateral do jardim, observe a parede à sua direita, ali tem uma fonte linda!

(D) Piscina

Uma parte curiosa do itinerário: uma piscina dos anos 20, abandonada até então. Junto a ela, foram construídos um campo de bocha e um outro de tênis, com a intenção de criar uma área especial para os esportes.

A piscina estava (e ainda está) equipada com um potente aquecedor original, adequado para aquecer a água, e por ali passaram personalidades ilustres como o pintor Salvador Dalì ou o escritor Alberto Moravia.

(E) Grotta di Pan

Acho que esse é meu lugar favorito no parque! Passei grande parte do tempo ali, observando a arquitetura, os detalhes, pensando no que as pessoas faziam ali antigamente, e sinceramente, me surpreendi com cada detalhe do local.

O “Nymphaeum”, local sagrado para as ninfas, é dedicado ao Deus Pan, que na mitologia grega era uma divindade não olímpica, meio homem e meio animal, reconhecido como o deus dos pastores, do campo e dos bosques. O Nymphaeum foi construído entre 1570 e 1580, e além da parte de “fora” da estrutura, você encontrará uma outra parte fechada, imitando uma caverna circular, comi um teto abobadado que recria um espaço escuro de concreções calcárias e é iluminado por um óculo localizado no topo do teto. As paredes desta segunda sala são decoradas combinando tufos ásperos, estalactites, decorações geométricas regulares, máscaras grotescas e a estátua do Deus Pan e figuras marinhas antropomórficas.

O lugar é bem sinistro, de verdade, mas de tão sinistro que é, acaba se tornando incrível! Além disso, existem várias saídas de água da parede, que quando ligadas, fazem um efeito incrível no local!

(F) Giardino Spagnolo

Um jardim incrível de forma retangular, construído no ano de 1924, com duas fontes lindíssimas e muitas flores! Um lugar para se admirar e observar por um bom tempo!

(G) Cappella di San Francesco Saverio

Imagem de Villa Reale di Marlia

Não conseguimos entrar nessa igrejinha, infelizmente estava fechada, mas é lindinha por fora e guarda muita história. Ela foi encomendada pelos Orsetti e teve sua construção concluída em 1710: a capela tem um busto do padroeiro Francesco Saverio, protetor dos missionários e turistas, na frente. Durante o período em que o complexo Villa Reale era de propriedade do Estado, a capela passou por um período de negligência e retomou sua função com os príncipes de Cápua, tornando-se posteriormente o local de sepultamento das famílias Borbone-Cápua e Pecci-Blunt.

(H) Giardino dei Limoni

Surreal! Simplesmente fantástico o cuidado com o local, e a beleza desse jardim! Confesso que não havia visto algo assim antes, e o cuidado e a arquitetura me chamaram muita atenção. São mais de 200 plantas cítricas com uma vasta variedade de espécies, dispostas em vasos antigos de terracota ao redor do viveiro e canteiros de flores.

Nesse jardim, o famoso pintor americano John Singer Sargent, que ficou na Villa Reale durante o século XX, pintou alguns de seus lindos quadros.

(H) Teatro di Verzura

O Teatro foi feito em 1690 pela família Orsetti. Ao longo do século XIX, o período em que o Villa Reale era de propriedade de Elisa Bonaparte Baciocchi, o teatro se tornou o local para a visita de Niccolò Paganini ao Villa, e ali foram realizadas várias apresentações teatrais.

(I) Palazzina dell’Orologio

O nome do complexo (Palácio do Relógio) deriva da posição particular elevada do relógio, típica de muitas vilas da Toscana da época. Este edifício foi construído pelos Orsetti entre o final do século XVII e o início do século XVIII, para abrigar os estábulos, cozinhas e serviços.

(J) Teatro d’Acqua

O teatro faz parte da arquitetura do parque e tem sua origem no século XVII. Aqui as cores da vegetação e o rugido barulhento da água coexistem e criam efeitos naturais de rara beleza. Fica na parte de trás da Vila, e é incrível! Cheio de flores, cascatas, histórias e encantos.

(L) Villa Reale

Finalmente chegamos na vila: no local onde hoje fica a Villa Reale, no início da Idade Média, era o palácio dos duques de Tuscia. Quando a propriedade passou para os nobres Buonvisi, uma família lucchesa de comerciantes e banqueiros, a antiga fortaleza já havia sido transformada em um imponente prédio de dois andares. O imponente edifício, com piso térreo utilizado para serviços, era caracterizado por um pórtico e cercado por jardins e fontes.

Hoje é um museu aberto ao público, onde você poderá visitar vários cômodos, inclusive o que foi o quarto da princesa Elisa, irmã de Napoleão.


Incrível, não? Agora é só ir visitar já que te dei todas as dicas! Aproveite, o local é incrível! E depois deixa seu comentário aí em baixo contando o que achou!

Conheça o site da Villa Reale di Marlia e saiba de todos os eventos futuros neste local maravilhoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.